Revival


Título Original: Revival


Título Traduzido: Revival (2015Presente)


Ano de Publicação: 2014


Páginas: 376 (Edição de 2015 – Suma de Letras)


Tradução: Michel Teixeira


Data de Publicação nos EUA: 11/11/2014


Personagens: Jamie Morton, Charles Jacobs, Astrid Soderberg, Mary Fay


Conexões: ‘Salem; Sombras da Noite; Trocas Macabras; Insônia; Joyland


Personagens Citados: Dorrance Marstellar


Sinopse: Décadas atrás, o reverendo Charles Jacobs renunciou a Deus após perder a família em um trágico acidente, o que resultou em sua expulsão da cidade onde pregava. Jamie Morton, um músico com quem Jacobs havia feito amizade na época em que Morton era apenas criança, descobre que os anos transformaram o bondoso reverendo em uma figura enigmática e obcecada pelo uso da eletricidade como instrumento de cura. O reencontro dos dois homens guarda muitas surpresas e revelará consequências pavorosas quando Jamie descobrir as reais intenções de Charles Jacobs.


Adaptações: ———-


Derivados: ———-


Disponível no Brasil pelas Editoras: Suma de Letras (2015)


CURIOSIDADES

– O livro é dedicado a uma série de autores que, segundo King, “pavimentaram seu caminho”. São eles: Mary Shelley (Frankenstein); Bram Stoker (Drácula); H.P. Lovecraft; Shirley Jackson (A Assombração na Casa da Colina); Robert Bloch (Psicose); Peter Straub (Os Mortos-Vivos); Clark Ashton Smith; Donald Wandrei; Fritz Leiber, August Derleth e Arthur Machen.

– Um personagem chamado Duane Robichaud é citado no livro; outros personagens criados por King com esse sobrenome são Helen Robichaud (Tudo é Eventual) e Nora Robichaud (Sob a Redoma). Não está claro se possuem parentesco.

– Dorrance Marstellar, um dos personagens importantes de Insônia, é citado neste livro.

– O livro “De Vermis Mysteriis”, que foi citado por King pela primeira vez no conto “Jerusalem’s Lot”, da antologia Sombras da Noite, é novamente mencionado em Revival. Na ficção, o livro foi escrito pelo feiticeiro belga Ludvig Prinn, personagem criado por Robert Bloch (autor de Psicose), e que acabou incorporado nos mitos de Cthulhu, de H.P Lovecraft.

– Segundo King, o livro foi inspirado nos clássicos O Grande Deus Pã, de Arthur Machen, e Frankenstein, de Mary Shelley.

– King mencionou pela primeira vez que estava trabalhando no livro em 20 de junho de 2013, enquanto promovia a série “Under the Dome.

– As cidades de Jerusalem’s Lot, Castle Rock e Gates Falls são mencionadas.

– Uma banda fictícia chamada “Gunslingers” (Os Pistoleiros) é mencionada no livro. É dito que este era o nome antigo do grupo, que agora se chama Chrome Roses (Rosas de Cromo).

– O bar Mellow Tiger / Tigre Meloso, visto em Trocas Macabras, é mencionado neste romance.

– O personagem Charles Jacobs menciona que trabalhou no parque de diversões Joyland.