Misery: Louca Obsessão


Título Original: Misery


Título Traduzido: Angústia (1988); Misery: Louca Obsessão (2014Presente)


Ano de Publicação: 1987


Páginas: 326 (Edição de 2014 – Suma de Letras)


Tradução: Elton Mesquita


Data de Publicação nos EUA: 08/06/1987


Personagens: Annie Wilkes, Paul Sheldon, Duane Kushner, Misery Chastain


Conexões: O Iluminado; It: A Coisa


Personagens Citados: Jack Torrance, Sonia Kaspbrak


Sinopse: O escritor Paul Sheldon acorda em um quarto estranho, lembrando-se vagamente de ter sofrido um terrível acidente enquanto dirigia pelas estradas que cercam as montanhas rochosas do Colorado. A princípio, Paul sente alívio ao descobrir que foi resgatado por Annie Wilkes, uma enfermeira atenciosa que diz ser “fã número um” dele. Contudo, enquanto vai se recuperando na isolada fazenda de Annie, Paul passa a desconfiar das desculpas que ela dá para não contatar o mundo exterior, e logo seus maiores temores se tornarão realidade.


Adaptações: Louca Obsessão (1990); Castle Rock – 2ª Temporada (2019)


Derivados: ———-


Disponível no Brasil pelas Editoras: Francisco Alves (1988); Suma de Letras (2014)


CURIOSIDADES

– O livro é dedicado a Stephanie e Jim Leonard. Stephanie, além de ter sido assistente pessoal de King, lidando com correspondências e outros assuntos relacionados ao escritor, é irmã de Tabitha.

– Em um determinado momento do romance, a personagem Annie Wilkes fala sobre o destino de Jack Torrance, o protagonista de O Iluminado.

Misery: Louca Obsessão seria, originalmente, assinado com o pseudônimo Richard Bachman. Contudo, a identidade do “autor” foi descoberta antes que o livro pudesse ser publicado.

– Vencedor do Bram Stoker Award em 1987, na categoria Melhor Romance. Também concorreu ao World Fantasy Award em 1988.

– O romance já foi parodiado diversas vezes, inclusive em desenhos satíricos como “Frango Robô” e “Uma Família da Pesada”.

– O livro se tornou um presságio sinistro na vida de Stephen King. Assim como o protagonista Paul Sheldon, King acabou sofrendo um horrível acidente automobilístico que quase o matou (a diferença é que Stephen foi atropelado).

– O romance é uma alegoria à frustração que King sentia por ser reconhecido apenas como autor de histórias de terror, sobretudo após Os Olhos do Dragão, um romance de fantasia, não ter sido tão bem recebido pela crítica e público em 1984 (ano em que foi publicado em edição limitada pela pequena editora de King, a Philtrum Press). Assim como Annie espera que Paul sempre escreva mais romances sobre Misery Chastain, King sentia que o público só ficaria satisfeito com mais e mais histórias de terror.

– Outra “inspiração” que King utilizou para escrever o livro foi a luta constante que travou nos anos 1980 contra o vício em álcool e drogas.

– Paul recorda-se de que, quando era criança, morava de frente para a casa da Sra. Kaspbrak. Esta seria Sonia Kaspbrak, a mãe de Eddie (um dos protagonistas do romance It: A Coisa).

– Algumas ideias com as quais King chegou a brincar enquanto escrevia o romance foram: ter o protagonista derrotado e morto pela porca de Annie Wilkes, e Annie utilizando parte da pele de Paul para encapar o novo livro que ele escreveria sobre Misery Chastain. O romance de King, inclusive, teria se chamado The Annie Wilkes Edition.

– Além do filme de 1990 estrelando Kathy Bates e James Caan, Misery: Louca Obsessão já foi adaptado para teatros do mundo todo. A personagem Annie Wilkes também foi utilizada na segunda temporada da série “Castle Rock”.

– No Brasil, o romance também já foi adaptado para o teatro. No ano de 2005, os ex-membros do programa “Sai de Baixo”, Marisa Orth e Luis Gustavo, deram vida a, respectivamente, Annie Wilkes e Paul Sheldon. Em 2019, foi ventilada a ideia de um “revival” da peça que teria a atriz Mariana Ximenes interpretando Annie. O projeto, até o momento, não foi adiante.