Insônia


Título Original: Insomnia


Título Traduzido: Insônia (1995Presente)


Ano de Publicação: 1994


Páginas: 704 (Edição de 2013 – Suma de Letras)


Tradução: Lia Wyler


Data de Publicação nos EUA: 15/09/1994


Personagens: Ralph Roberts, Lois Chasse, Susan Day, Ed Deepneau, Patrick Danville


Conexões: Cemitério Maldito; It: A Coisa; Jogo Perigoso; A Torre Negra


Personagens Citados: Ben Hanscom, Adrian Mellon, Gage Creed, Mike Hanlon


Sinopse: O aposentado Ralph Roberts tem passado muitas noites sem dormir ultimamente. A insônia chegou ao ponto em que ele não consegue diferenciar mais o que é real ou fantasia. Ralph começa a enxergar seres estranhos e perceber uma realidade totalmente nova ― realidade esta que está sofrendo a interferência de um ser extremamente poderoso, cujo único propósito é a destruição dos mundos… e de uma certa torre.


Adaptações: ———-


Derivados: ———-


Disponível no Brasil pelas Editoras: Objetiva (1995); Objetiva (2001); Planeta DeAgostini (2004); Ponto de Leitura (2013); Suma de Letras (2013)


CURIOSIDADES

– O livro é dedicado a Tabitha King e a Al Kooper, membro da antiga banda de King, The Rock Bottom Remainders.

– A história do livro se passa na cidade de Derry, palco de outros romances, como It: A Coisa e O Apanhador de Sonhos.

– Insônia é um dos romances de King com fortes ligações com a saga A Torre Negra.

– O personagem Mike Hanlon, de It: A Coisa, faz uma rápida aparição neste romance. Além de Mike, Adrian Mellon e Ben Hanscom, também de It: A Coisa, são mencionados.

– Em determinado momento do livro, Ralph descobre o que aconteceu ao garotinho Gage Creed, do romance Cemitério Maldito.

– No início do livro, o personagem Ed Deepnau confronta um caminhoneiro identificado como “Grandalhão”, acusando-o de transportar fetos abortados em um caminhão. No texto original em inglês, “Grandalhão” responde: “Eu não sou Ray Joubert ou o tal do Dahmer!”. Raymond Andrew Joubert era o deformado assassino necrófilo que aterrorizou Jessie Burlingame durante os eventos do romance Jogo Perigoso. Já Dahmer, era Jeffrey Dahmer, serial killer que realmente existiu, morto em 1994 (ano de publicação de Insônia). Talvez por acreditar que os leitores brasileiros não entenderiam as referências, a tradução brasileira de Lia Wyler, que é utilizada até hoje, preferiu omitir os nomes de Joubert e Dahmer. Ao invés de mencioná-los, o texto traduzido diz: “Afinal não sou nenhum criminoso, nenhum tarado”.

– Em um momento da história, Ralph sonha com a esposa dele enterrada até o pescoço em uma praia. Essa pode ser uma divertida alusão a uma das histórias presentes no filme “Creepshow: Show de Horrores” (1982), que teve roteiro de King e direção de George Romero.

– Indicado ao Bram Stoker Award em 1994 na categoria Melhor Romance.


CURIOSIDADES COM SPOILERS

– Alguns locais e eventos narrados no romance It: A Coisa são lembrados em Insônia: o assassinato de Adrian Mellon, a tempestade de 1985 e os esgotos onde o Clube dos Otários teve o confronto com Pennywise em 1958.

– Em determinado momento do livro, o Rei Rubro confronta Ralph e diz: “Você talvez não saiba, mas em Derry o transformismo é um costume consagrado pelo tempo”. O “transformismo” ao qual ele se refere é a habilidade que Pennywise tinha para mudar de forma como queria para atrair presas.

– No fim do livro, é mostrado o pequeno Patrick Danville, de quatro anos, desenhando o Rei Rubro e o pistoleiro Roland Deschain. Patrick retornaria mais velho no último volume da saga A Torre Negra.