Desespero


Título Original: Desperation


Título Traduzido: Desespero (1997Presente)


Ano de Publicação: 1996


Páginas: 568 (Edição de 2012 – Suma de Letras)


Tradução: Marcos Santarrita


Data de Publicação nos EUA: 24/09/1996


Personagens: Johnny Marinville, Cynthia Smith, Steve Ames, Collie Entragian, David Carver


Conexões: Rose Madder; Os Justiceiros; Misery: Louca Obsessão; A Torre Negra


Personagens Citados: Norman Daniels, Anna Stevenson


Sinopse: Um estranho policial tem parado viajantes que passam pela rodovia 50, em Nevada, propositalmente e os sequestrado. O homem leva as vítimas para a abandonada cidade de Desespero. Lá, os que sobreviverem à ira do psicótico agente da lei, devem se unir para tentar entender a força maléfica que controla o lugar e impedir que ela se espalhe pelo mundo.


Adaptações: Desespero (2006)


Derivados: ———-


Disponível no Brasil pelas Editoras: Objetiva (1997); Objetiva (2001); Planeta DeAgostini (2004); Ponto de Leitura (2011); Ponto de Leitura (2013); Suma de Letras (2013)


CURIOSIDADES

– Dedicado a Carter Whitey, o “roadie” de Stephen King na época em que o escritor cruzava o país com uma motocicleta, o que, pouco tempo depois, o impeliu a escrever este romance.

– Desespero é o “irmão gêmeo” do romance Os Justiceiros, assinado com o pseudônimo Richard Bachman. Ambos os livros contêm os mesmos personagens, mas colocados em situações distintas e com personalidades diferentes. King explicou que, ao fazer isso, queria experimentar com os personagens, como se eles pertencessem a uma companhia de teatro atuando em peças diferentes.

– O romance é inspirado em duas viagens que King fez de motocicleta pelos desertos de Nevada. Em 1991, enquanto passava pela comunidade de Ruth, o autor ficou surpreso com a sensação de solidão que o local passava, imaginando que o xerife local teria sido responsável pelo desaparecimento da população. Três anos depois, em uma excursão de moto, King ouviu falar de uma história sobre mineradores que haviam sido deixados para morrer em uma mina próxima a Ruth, quando ela desabou, porque ninguém queria arriscar a vida para salvá-los.

– O personagem Steve Ames menciona que morou com a família na cidade de Arnette, Texas, palco de alguns dos eventos iniciais do romance A Dança da Morte.

– Tom e Johnny conversam, em determinado momento na história, sobre “tommyknockers”. Diferentemente da metáfora utilizada por King em Os Estranhos, os personagens de Desespero se referem a eles como as verdadeiras criaturas que são no folclore galês: pequenos demônios que habitam as minas e infernizam as vidas dos mineradores.

– Os personagens Anna Stevenson e Norman Daniels, ambos de Rose Madder, são mencionados por Cynthia Smith neste romance. Cynthia também é uma das personagens secundárias de Rose Madder.

– É dito que a personagem Ellen Carver gosta de romances como “Misery in Paradise”, um dos livros escritos por Paul Sheldon. Infelizmente, na versão brasileira, o tradutor não pegou a referência e traduziu o título literalmente para “Infeliz no Paraíso”.

– A maioria das capas deste romance, sejam as versões brasileiras ou internacionais, é criada de modo a completar o desenho que consta na capa de Os Justiceiros. No Brasil, isso aconteceu em cada lançamento da editora Objetiva/Suma de Letras. Apenas a versão de 2004 da Planeta DeAgostini não conta com essa característica.


CURIOSIDADES COM SPOILERS

– O termo “can-toi”, dito algumas vezes por Collie Entragian, também é mencionado na saga A Torre Negra. Tratam-se de criaturas híbridas com traços humanoides e animalescos. Uma das aparições mais famosas delas acontece na antologia Hearts in Atlantis, passando-se como os “Homens Baixos de Casacos Amarelos”.

– As Irmãzinhas de Eluria, presentes na noveleta homônima da antologia Tudo é Eventual, possuem uma linguagem similar à utilizada por Tak. No conto, o pistoleiro Roland Deschain só consegue discernir a frase “can de lach, mi him en tow”.