Cemitério Maldito


Título Original: Pet Sematary


Título Traduzido: O Cemitério (19852013); Cemitério Maldito (2019Presente)


Ano de Publicação: 1983


Páginas: 424 (Edição de 2019 – Suma de Letras)


Tradução: Mário Molina


Data de Publicação nos EUA: 14/11/1983


Personagens: Louis Creed, Jud Crandall, Rachel Creed; Gage Creed; Ellie Creed, Victor Pascow


Conexões: ‘Salem; Cujo


Personagens Citados: Cujo


Sinopse: O médico Louis Creed e a família se mudam para a pequena cidade de Ludlow, onde ele passa a trabalhar na Universidade do Maine. Tudo parece apontar para um grande recomeço para os Creed, até que uma terrível tragédia acontece. Deprimido com a morte de um ente querido, Louis descobre, através do vizinho, Jud Crandall, que não muito longe da casa dos Creed fica um cemitério indígena com segredos perigosos; segredos que vão seduzir Louis e iniciar uma reação em cadeia de consequências abomináveis.


Adaptações: Cemitério Maldito (1989); Cemitério Maldito (2019)


Derivados: Cemitério Maldito II (1992)


Disponível no Brasil pelas Editoras: Rio Gráfica (1985); Círculo do Livro (1986); Francisco Alves (1987); Planeta DeAgostini (2004); Objetiva (2006); Ponto de Leitura (2011); Ponto de Leitura (2013); Suma de Letras (2013); Suma de Letras (2019)


CURIOSIDADES

– O livro é dedicado a Kirby McCauley, agente literário que trabalhou com King.

– No início do livro, em uma conversa entre Louis e Jud, o velho diz que “há alguns anos, no interior do estado, um grande e velho São Bernardo ficou raivoso e matou quatro pessoas”. Jud está se referindo a Cujo.

– A inspiração para a escrita do livro surgiu após o gato de Naomi King ser atropelado, em 1979.

– King mencionou que este é um dos livros dele que mais o assustou, ao ponto do manuscrito ter sido trancado em uma gaveta por muito tempo.

– Concorreu ao World Fantasy Award na categoria Melhor Romance, em 1984.

– Quando Rachel dirige de volta a Ludlow, ela passa por uma placa que aponta o caminho para Jerusalem’s Lot.

– Rachel também passa por uma cidade chamada Pittsfield. Em uma conexão quase obscura, esta é a mesma cidade onde mora David Defuniak, estudante de Jonesy que cola durante uma prova, em O Apanhador de Sonhos.

– O cereal “Cocoa Bears” que Gage come durante um café da manhã foi feito pelas Indústrias Sharp, que é mencionada em Cujo.

– Quando questionado pelo personagem Steve Masterson se quer jogar tênis, Louis Creed responde: “Trabalho sem diversão faz de Jack um bobalhão”, frase célebre utilizada por Jack Torrance, protagonista de O Iluminado.