Carrie, a Estranha


Título Original: Carrie


Título Traduzido: Carrie (19831987); Carrie, a Estranha (1976; 2001Presente)


Ano de Publicação: 1974


Páginas: 200 (Edição de 2013 – Suma de Letras)


Tradução: Adalgisa Campos da Silva


Data de Publicação nos EUA: 05/04/1974


Personagens: Carrie White, Margaret White, Sue Snell, Chris Hargensen, Billy Nolan


Conexões: ———-


Personagens Citados: ———-


Sinopse: Carrie White é a típica jovem excluída que podemos encontrar em muitas salas de aula. Tachada de feia, dona de vestidos de segunda mão e filha de uma fanática religiosa, Carrie é um prato cheio para os colegas dela, que fazem de tudo para infernizar a vida da pobre moça. Mas há algo que os estudantes do Colégio Ewen não sabem sobre Carrie: ela possui poderes telecinéticos… e quando eles finalmente passarem do limite, desejarão nunca tê-la provocado.


Adaptações: Carrie, a Estranha (1976); Carrie, a Estranha (2002); Carrie, a Estranha (2013)


Derivados: A Maldição de Carrie (1999)


Disponível no Brasil pelas Editoras: Nova Fronteira (1974); Nova Fronteira (1976); Abril Cultural (1983); Nova Cultural (1987); Nova Cultural (1987); Objetiva (2001); Planeta DeAgostini (2004); Objetiva (2007); Ponto de Leitura (2009); Suma de Letras (2013); Suma de Letras (2013); Ponto de Leitura (2014)


CURIOSIDADES

– O primeiro livro publicado de Stephen King é dedicado à sua esposa, Tabitha Spruce King.

– Primeiro romance publicado de King, e quarto escrito.

– King se baseou em duas meninas que conheceu para compor Carrie. Ambas eram vindas de famílias rigorosamente religiosas e pobres, e eram motivo de chacota no colégio. Ambas foram colegas dele na época do colegial. E ambas morreram antes de chegarem aos trinta anos (uma delas se matou, e a outra morreu após um ataque de epilepsia).

– É um dos livros mais frequentemente banidos nas escolas americanas (o filme foi banido na Finlândia).

– Escrito no estilo “romance epistolar” (quando o desenvolvimento da história é feito através de cartas, artigos e textos do gênero).

– Escrito na mesma máquina que Misery: Louca Obsessão.

Carrie, a Estranha faz uma aparição no primeiro episódio da terceira temporada de “Lost”. Na cena, o livro é escolhido pela personagem Juliet durante um “clube literário”.

– A história foi escrita originalmente como um conto para a revista masculina Cavalier. King resolveu jogar o que já tinha no lixo, mas a esposa dele pegou de volta e o convenceu a terminar o conto, que acabou se tornando um romance.

– Na época da publicação, King mandou tirar o telefone da própria casa porque o salário de professor dele na Hampden Academy não era o bastante para os custos. William Thompson (mais tarde um amigo muito próximo de King) tentou contatar Stephen para lhe contar que Carrie, a Estranha havia sido aprovado para publicação. Sem conseguir contatá-lo pelo telefone, já que King não mais tinha um, William lhe mandou um telegrama dizendo: “CARRIE É OFICIALMENTE UM LIVRO DA DOUBLEDAY. 2.500 DÓLARES DE ADIANTAMENTO PELOS ROYALTIES. PARABÉNS, GAROTO – O FUTURO JAZ À FRENTE, BILL”.