A Autoestrada


Título Original: Roadwork


Título Traduzido: A Auto-Estrada (1992); A Autoestrada (2009Presente)


Ano de Publicação: 1981


Páginas: 304 (Edição de 2009 – Suma de Letras)


Tradução: Fabiano Morais


Data de Publicação nos EUA: 03/03/1981


Personagens: Bart Dawes, Dave Albert, Ralph Albertson, Mary Dawes


Conexões: ———-


Personagens Citados: ———-


Sinopse: Enquanto sofre cada vez mais perdas pessoais, Bart Dawes descobre que sua casa está na rota de uma demolição organizada pela Prefeitura Municipal, que pretende construir uma nova autoestrada no lugar. Inconformado com o estatuto que autoriza a cidade a destruir seu lar, Bart resolve dar o troco. Munido com balas, explosivos e muita determinação, ele está preparado para defender sua casa, especialmente por não ter mais nada a perder na vida.


Adaptações: ———-


Derivados: ———-


Disponível no Brasil pelas Editoras: Francisco Alves (Os Livros de Bachman – 1992); Suma de Letras (2009); Ponto de Leitura (2011)


CURIOSIDADES

– O livro é dedicado em memória de Charlotte Littlefield, uma professora com quem King trabalhou quando ensinava inglês na Hampden Academy.

– Em uma antiga introdução de Os Livros de Bachman, King diz que A Autoestrada foi um esforço dele para tentar lidar com a morte da mãe no ano anterior. O autor afirma que “após a morte dela, fiquei de luto e abalado pela aparente falta de sentido de tudo aquilo. A Autoestrada tenta com todas as forças ser bom e encontrar respostas para o enigma da dor humana.” King admitiu que a princípio sentiu-se decepcionado com o livro e que quase não permitiu sua reimpressão. Na introdução para a reedição de Os Livros de Bachman, o escritor disse que, com o passar o tempo, acabou mudando de ideia e que, hoje em dia, A Autoestrada é seu livro de Bachman favorito.

– A máquina industrial de passar roupas da empresa onde Bart trabalha é apelidada na história de “The Mangler”; este também é o título original do conto “A Máquina de Passar Roupas”, que consta na antologia Sombras da Noite e fala de uma máquina possuída.

– Durante a história, é narrado que, quando criança, Bart atirou em um gaio-azul com um rifle. O relato é bastante similar ao encontro do personagem Todd Bowden (da noveleta “Aluno Inteligente”, de Quatro Estações) com outro gaio-azul.

– Em Desespero, a personagem Audrey Wyler também faz um relato muito parecido com o de Bart, incluindo o fato de ela ter usado mesmo tipo de rifle (calibre 22) que ele usou para atirar na ave.