Stephen King Goes to the Movies


Título Original: Stephen King Goes to the Movies


Título Traduzido: ———-


Ano de Publicação: 2009


Páginas: 592 (Edição de 2009 – Hodder & Stoughton)


Tradução: ———-


Data de Publicação nos EUA: 20/01/2009


Personagens: Andry Dufresne, Mike Enslin, Bobby Garfield, Ted Brautigan


Conexões: A Torre Negra


Personagens Citados: Roland Deschain


Sinopse: Stephen King Goes to the Movies é uma antologia que reúne três contos e duas noveletas publicadas por King em outros livros seus, e que tiveram adaptações para o cinema. Antes de cada história, King escreve uma breve introdução comentando tais filmes. Confira a relação dos contos…

1408 (1408, 1999): Mike Enslin é um autor que ganha a vida escrevendo livros sobre locais assombrados. Apesar disso, Mike não acredita no sobrenatural. Porém, quando é convidado a se hospedar no quarto 1408 do Hotel Dolphin  um lugar com fama de ser altamente assombrado , ele se verá obrigado a rever suas convicções.

A Máquina de Passar Roupas (The Mangler, 1972): Um policial deve enfrentar uma máquina de passar roupas possuída por um espírito diabólico, disposto a estraçalhar qualquer um que se aventure perto de suas engrenagens.

Low Men in Yellow Coats (Low Men in Yellow Coats, 1999): Bobby Garfield, Carol Gerber e John Sullivan eram apenas crianças quando conheceram o velho Ted Brautigan, um senhor sábio e com habilidades muito especiais. Com o passar do verão, Bobby fica bastante apegado a Ted, e ao descobrir que um grupo de criaturas malignas, conhecidas como “Homens Baixos de Casacos Amarelos”, está perseguindo Ted, ele decide fazer o que puder para ajudar o seu amigo.

Primavera Eterna: Rita Hayworth e a Redenção de Shawshank (Hope Springs Eternal: Rita Hayworth and the Shawshank Redemption, 1982): Na década de 1940, o banqueiro Andy Dufresne é injustamente condenado à prisão perpétua pelo assassinato de sua esposa e do amante dela. Ele é enviado para a prisão de Shawshank. Conforme o tempo passa, Andy sofre na pele as consequências da corrupção da instituição, sem nunca perder a esperança de um dia se ver livre novamente.

As Crianças do Milharal (Children of the Corn, 1977): Com o relacionamento em constante desgaste, um casal resolve fazer uma viagem pelo centro dos Estados Unidos. No caminho, são forçados a parar na abandonada cidade de Gatlin, onde percebem que estão sendo vigiados de perto por sinistras crianças com as piores intenções.


Adaptações: Colheita Maldita (1984); Um Sonho de Liberdade (1994); Mangler: O Grito do Terror (1995); Lembranças de um Verão (2001); 1408 (2007)


Derivados: Colheita Maldita II: O Sacrifício Final (1992); Colheita Maldita III: Colheita Urbana (1995); Colheita Maldita IV (1996); Colheita Maldita V: Campos do Terror (1998); Colheita Maldita 666: Isaac Está De Volta (1999); Pânico Virtual (2001); Colheita Maldita 7 (2001); Mangler: O Massacre (2005); Colheita Maldita (2009); Colheita Maldita: Genesis (2011); Colheita Maldita: Fugitivos (2018); Children of the Corn (2020)


Disponível no Brasil pelas Editoras: ———-


CURIOSIDADES

– Nos comentários da noveleta “Low Men in Yellow Coats”, de Hearts in Atlantis, King afirma que uma história chamada “The House On Benefit Street”, que seria focada na personagem Carol Gerber e que completaria a obra, estava para ser escrita. O autor, porém, jamais tocou no assunto novamente.

– Segundo King, o principal motivo que fez “Lembranças de um Verão” falhar como adaptação foi o fato da noveleta “Low Men in Yellow Coats” estar muito ligada à saga A Torre Negra. Consequentemente, todos os elementos que referenciavam a magnum opus de King acabaram sendo deixados de fora do filme, provocando mudanças e adaptações que, segundo o autor, prejudicaram a história.

– Ao comentar “Um Sonho de Liberdade”, King afirma acreditar que um dos motivos do fracasso do filme na época de seu lançamento nos cinemas foi o título esquisito (“The Shawshank Redemption”), que não informava nada ao público. De acordo com o autor, ele mesmo detestou o nome que deu à história original, e que nem ele e nem Frank Darabont (o diretor do longa) conseguiram pensar em um título melhor.

– Ao final do livro, King lista as dez adaptações de sua obra que ele mais gosta (sem ordem de preferência): “1408”; “À Espera de um Milagre”; “A Tempestade do Século”; “Conta Comigo”; “Cujo”; “Eclipse Total”; “Louca Obsessão”; “O Aprendiz”; “O Nevoeiro” e “Um Sonho de Liberdade”.