O Iluminado


Adaptação do Livro: O Iluminado (The Shining, 1977)


Adaptação do Conto: ———-


Título Original: The Shining


Ano de Produção: 1980


Duração: 146 minutos


Data de Estreia nos EUA: 13/06/1980


Data de Estreia no Brasil: 25/12/1980


Elenco: Jack Nicholson, Shelley Duvall, Scatman Crothers, Danny Lloyd, Barry Nelson, Philip Stone


Direção: Stanley Kubrick


Sinopse: A família Torrance se muda para o Hotel Overlook onde o patriarca, Jack, trabalhará como zelador durante a temporada de inverno. O que parecia uma promissora chance de redenção para Jack, vai se transformando num inacreditável pesadelo. Enquanto o pequeno Danny é alvo das manifestações malignas do Overlook que desejam absorver seus poderes de iluminado, Wendy Torrance percebe que a maior ameaça reside no próprio marido, que pouco a pouco está descendo o abismo da loucura e se voltando contra a própria família.


Disponível no Brasil em: VHS, DVD, Blu-Ray, Streaming (Darkflix, Globoplay), VOD (Google Play, Microsoft Store, YouTube, iTunes)


CURIOSIDADES

– Durante a produção do filme, Stanley Kubrick ligava ocasionalmente para Stephen King às 3h da manhã para fazer a seguinte pergunta: “Você acredita em Deus?”.

– O livro que Jack está escrevendo contém uma única frase (“Trabalho sem diversão faz de Jack um bobalhão”) repetidas várias vezes. Stanley Kubrick fez com que cada página fosse individualmente datilografada. Para a versão italiana do filme, Kubrick usou a frase “Il mattino ha l’oro in bocca” (algo como “Deus ajuda quem cedo madruga”). Para a versão alemã, ficou “Was Du heute kannst besorgen, das verschiebe nicht auf Morgen” (“Nunca deixa pra amanhã, o que você pode fazer hoje”). Para a versão espanhola, ficou “No por mucho madrugar amanece más temprano” (“Acordar cedo demais não vai fazer o crepúsculo vir mais rápido”). E, finalmente, para a versão francesa, ficou “Un ‘Tiens’ vaut mieux que deux ‘Tu l’auras'” (“Vale mais um pássaro na mão do que dois voando”).

– Stanley Kubrick decidiu que os arbustos em forma de animais que ganham vida (como visto no livro) era algo impossível de se conseguir com os efeitos especiais da época. Então, ele optou por criar o labirinto.

– Quando foi lançado, “O Iluminado” possuia um final alternativo: após o close no corpo de Jack, a cena se dissolve mostrando um policial do lado de fora do hotel. Então, o filme corta para Wendy descansando numa cama de hospital enquanto Danny brinca na sala de espera. Ullman chega e fala que não conseguiram encontrar o corpo de Jack. Na saída, Ullman dá para Danny a mesma bola vista no Overlook antes de o menino ser atacado no quarto 237. O filme volta a focar os corredores do hotel até a famosa foto de Jack. Stanley Kubrick resolveu retirar a cena uma semana após o filme estrear nas salas de cinema.

– Stanley Kubrick considerou tanto Robert De Niro quanto Robin Williams para o papel de Jack Torrance, mas acabou desistindo dos dois. Após assistir a “Taxi Driver” (1976), Kubrick viu que De Niro não serviria por parecer “psicótico de menos”. Ele observou que Williams também não teria sido a escolha ideal, porque concluiu, após assisti-lo no seriado cômico “Mork & Mindy”, que o comediante parecia “psicótico DEMAIS”.

– De acordo com Stephen King, Kubrick também chegou a pensar em Harrison Ford para o papel de Jack Torrance.

– Stephen King tentou convencer Stanley Kubrick a desistir de escalar Jack Nicholson para o papel principal, e contratar Michael Moriarty ou Jon Voight. King sentia que assistir a estes homens normais descerem até a loucura teria contribuído imensamente para o drama da história.

– Jack Nicholson improvisou a frase “Here’s Johnny!”, imitando o narrador do programa de entrevistas “The Tonight Show Starring Johnny Carson”. Carson usou o clipe da cena de Nicholson como introdução de um de seus especiais de aniversário.

– Durante a cena em que Wendy traz o café da manhã de Jack na cama, vê-se no reflexo do espelho que na camisa de Jack está escrito “Stovington”. Embora não mencionado no filme, este é o nome da escola em que Jack ensinava no romance de Stephen King.

– Stanley Kubrick, conhecido por sua compulsão em gravar a mesma cena dezenas de vezes, conseguiu a tomada perfeita do sangue jorrando para fora do elevador em apenas três tentativas.

– Durante as filmagens, Stanley Kubrick fez o elenco assitir a “Eraserhead” (1977), “O Bebê de Rosemary” (1968) e “O Exorcista” (1973).

– O taco de beisebol Louisville Slugger com que Wendy Torrance tenta acertar Jack é autografado por Carl Yastrzemski, jogador dos Red Sox que alcançou o Hall da Fama. Como é bem sabido, o autor Stephen King é um grande torcedor dos Red Sox.

– Toda vez que Jack conversa com um “fantasma”, há um espelho em cena. A exceção é a cena da despensa. Isso acontece porque Jack se comunica com Grady do outro lado da porta. Nunca vemos Grady em cena.

– O filme que Wendy e Danny veem na abertura da “Segunda-Feira” é “Houve Uma Vez Um Verão” (1971).

– Como Danny Lloyd era muito jovem, Kubrick foi extremamente protetor com a criança. Durante as filmagens, Lloyd achava que estava atuando em um drama. Ele só descobriu a verdade sete anos depois.

– Jogar a bola de tênis pelo hotel foi ideia de Jack Nicholson. Nestas cenas, o roteiro apenas especificava que “Jack não está trabalhando”.

– A neve no labirinto consistiu em 900 toneladas de sal e isopor picotado.

– A primeira escolha de Stanley Kubrick para o intérprete de Danny foi Cary Guffey, o garotinho de “Contatos Imediatos do Terceiro Grau” (1977). Os pais de Guffey recusaram a proposta após saberem qual seria o tema do filme.

– O convidado que assusta Wendy dizendo “Great party, isn’t it?” (Ótima festa, não é?) foi interpretado pelo editor do filme, Norman Gay.

– Houve tantas mudanças no roteiro que Jack Nicholson, irritado, resolveu parar de lê-lo integralmente. Ele se reservou a ler apenas as novas páginas que lhe eram dadas todos os dias.

– Wendy Carlos e Rachel Elkind escreveram e criaram a trilha sonora eletrônica do filme, mas Stanley Kubrick descartou a maioria das composições, preferindo usar músicas clássicas.

– Para a cena em que Jack Torrance quebra a porta do banheiro, a produção construiu uma porta que poderia ser facilmente quebrada. Entretanto, Jack Nicholson, que trabalhara como bombeiro voluntário, a quebrou mais facilmente do que seu personagem deveria, forçando os produtores a construírem uma porta mais resistente.

– A atriz Anjelica Huston, que viveu com Jack Nicholson durante a época das filmagens, disse que, devido às longas horas no estúdio e à marca registrada de Stanley Kubrick de repetir tomadas exaustivamente, Nicholson quase sempre ia direto para cama assim que chegava em casa.

– Antes de contratar Diane Johnson como sua parceira de roteiro, o diretor Stanley Kubrick rejeitou uma versão escrita pelo próprio Stephen King. O roteiro de King era uma conversão mais literal de seu romance.

– O labirinto era grande e complexo o suficiente para requisitar um mapa detalhado. Parte dos envolvidos nas filmagens acabaram se perdendo, só se encontrando com a ajuda de walkie-talkies.

– Stanley Kubrick quis gravar o filme linearmente. o que significava ter todos os sets relevantes de pé o tempo todo. Para conseguir isso, cada estúdio de som em Elstree foi usado.

– Vivian Kubrick, filha de Stanley, faz uma aparição na cena da festa. Ela pode ser vista em um vestido preto, sentada do lado direito do sofá próximo ao bar.

– O carro dos Torrance é um Volkswagen Beetle.

– “Here’s Johnny!” foi votada como 68ª melhor fala de um filme pelo American Film Institute.

– Stephen King não gostou nem um pouco das escalações de Jack Nicholson e de Shelley Duvall. O autor disse que enxergava Wendy Torrance como uma ex-líder de torcida do colégio que nunca havia tido problemas na vida, o que fazia sua experiência no Overlook ser mais aterrorizante. King apontou que Duvall sempre parecia exageradamente vulnerável; basicamente o oposto da personagem que criou.

– O filme foi lançado nos cinemas norte-americanos no dia do 70° aniversário do ator Scatman Crothers.

– O papel de Lloyd havia sido conquistado por Harry Dean Stanton (de “Christine: O Carro Assassino” e “À Espera de um Milagre”). O ator, contudo, acabou tendo de recusá-lo em virtude de seus compromissos com as filmagens de “Alien: O Oitavo Passageiro” (1979).

– Scatman Crothers era um grande amigo de Jack Nicholson. Quando ouvir falar do personagem Hallorann, Nicholson sugeriu o nome do ator para Kubrick.

– Durante uma entrevista ao programa inglês “The 100 Greatest Scary Moments”, Shelley Duvall revelou que, como seu papel requisitava um constante estado de histeria, ela teve dificuldades para derramar lágrimas, já que estava sempre chorando. Para cuidar disso, ela trazia garrafas de água para se manter hidratada.

– A imagem das duas meninas no corredor foi inspirada pela fotografia “Identical Twins, Roselle, New Jersey, 1967”, de Diane Arbus.

– Primeiro filme de Manning Redwood.

– Aproximadamente 5 mil crianças fizeram testes para o papel de Danny num período de seis meses. As entrevistas ocorreram em Chicago, Denver e Cincinnati, e foram realizadas pelo assistente Leon Vitali, e a esposa Kersti. Foi pedido aos pequenos atores que mandassem fotos deles mesmos. Das fotografias, foi feita uma lista dos meninos que tinham o semblante ideal para o papel. Estes fizeram um pequeno improviso frente às câmeras, que acabou sendo julgado pelo próprio Kubrick.

– De acordo com a revista Variety, o filme levou 200 dias pra ser finalizado. Entretanto, segundo o editor-assistente Gordon Stainforth, as filmagens levaram quase um ano. Elas só deveriam durar 17 semanas, mas acabaram ultrapassando 50. Graças à demora, “Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida” (1981), de Steven Spielberg, foi posto na geladeira, já que precisou aguardar “O Iluminado” terminar de usar os estúdios Elstree.

– A ideia do ator-mirim Danny Lloyd mexer o dedo ao falar com “Tony” foi de sua própria autoria; ele fez isso espontaneamente durante seu primeiro teste.

– Nas cenas onde Jack datilografa (embora não se veja o quê), Kubrick fez questão de gravar e reproduzir o som de um datilógrafo escrevendo “All work and no play makes Jack a dull boy”.

– A cena da bola de tênis rolando em direção aos brinquedos de Danny levou 50 tomadas para ser concluída.

– A cena em que Wendy sobe as escadarias do hotel carregando uma faca levou 35 tomadas para ser finalizada; pela quantidade de degraus das escadarias do set, a atriz Shelley Duvall subiu o equivalente a todos os degraus do Empire State Building.

– A foto de 1921 vista no fim do filme é genuína; a imagem só foi levemente manipulada para inserir o rosto de Jack Nicholson no corpo de outro homem. Stanley Kubrick tentou usar figurantes e tirar ele mesmo a foto, mas logo percebeu que não conseguia fazer melhor do que a foto de verdade.

– Lloyd (Joe Turkel) e Grady (Philip Stone) jamais piscam no filme.

– Jack menciona a cidade de Portland, no Maine, para Lloyd. Portland foi onde Stephen King cresceu.

– Apesar da pressão de Stanley Kubrick sobre todos, Jack Nicholson afirmou que teve uma boa relação de trabalho com ele. Foi com Shelley Duvall que ele foi um diretor completamente diferente. Kubrick pegava no pé dela mais do que no de qualquer outro ator. Ele chegou ao ponto de dizer que Duvall estava fazendo todos perderem tempo. Tempos depois, a atriz teorizou que Kubrick estava pressionando-lhe ao limite para tirar o melhor dela.

– O ator James Mason (que interpretou Straker na minissérie “Os Vampiros de Salem”) visitou os sets do filme. Em via de regra, Stanley Kubrick não permitia visitantes nos sets, mas fez uma exceção a Mason, que interpretou memoravelmente o professor Humbert Humbert em Lolita (1962), outro filme do diretor.

– Wendy gira o bastão de beisebol 41 vezes.

– De acordo com Shelley Duvall, a famosa cena do “Heere’s Johnny!” levou três dias para ser filmada. Ao todo, 60 portas foram destruídas a machadadas até a cena ser finalizada.

– Durante as filmagens, Shelley Duvall não recebeu qualquer carinho ou elogio. Essa, aparentemente, foi a tática de Stanley Kubrick para fazê-la se sentir totalmente amargurada, colaborando para sua interpretação de Wendy.

– Stanley Kubrick quis que Shelley Duvall interpretasse uma versão tímida e dependente de Wendy Torrance desde o começo. Após ler o romance, Jack Nicholson sugeriu a Kubrick que chamasse a atriz Jessica Lange para interpretar Wendy, por acreditar que ela combinava mais com a versão criada por Stephen King. Depois de explicar as mudanças que tinha feito, Kubrick convenceu Nicholson de que Duvall era a escolha correta. Anos depois, o ator falou à revista Empire que achou Duvall fantástica, e que a atuação dela foi simplesmente “a mais exaustiva e difícil que já vi na vida”.

– O filme foi feito no mesmo estúdio de “Star Wars: Episódio V – O Império Contra-Ataca” (1980). Muita da neve falsa usada no filme de Kubrick foi reaproveitada na cena da batalha de Hoth. Stephen King visitou os sets de ambos os filmes e conheceu o diretor Irvin Kershner, cujo nome foi usado pelo autor para batizar a Sra. Kersh, de It: A Coisa. Kershner foi apelidado de “Kersh” enquanto dirigia o primeiro filme de “Star Wars” que mostrava o mestre Yoda. Em It: A Coisa, King descreve que a Sra. Kersh “parecia ter a voz de Yoda quando abria a boca”.

– A doutora (Anne Jackson) pergunta a Danny se ele sentiu o cheiro de alguma coisa engraçada antes de desmaiar. Esta é uma referência a um detalhe no livro, em que Hallorann diz a Danny que sempre sente um forte aroma de laranjas quando “se ilumina”.


CURIOSIDADES COM SPOILERS

– Kubrick quis aproximadamente 70 tomadas para a cena onde Hallorann (Scatman Crothers) é morto por Jack Torrance. Jack Nicholson pediu para o diretor pegar leve com o setentista Crothers e parar após 40 tomadas. Em determinado ponto das filmagens, Crothers ficou tão desesperado com a notória compulsão de Kubrick, que caiu no choro perguntando “O que você quer, Sr. Kubrick?”.

– Danny fala “Redrum” 43 vezes antes de sua mãe acordá-lo e de Jack começar a arrombar o quarto.

– Apesar da fama de ser um dos maiores clássicos do horror, “O Iluminado” só mostra um único assassinato.


TRAILER